exportar produtos

4 pontos que merecem atenção na hora de exportar produtos

No mercado globalizado em que vivemos, é comum o desejo cada vez maior de exportar produtos. O que antes era exclusividade apenas das grandes multinacionais, hoje, atingiu níveis mais diversificados: empresas de pequeno e médio porte também podem lançar novidades no mercado exterior.

E isso é perfeitamente saudável e favorável ao crescimento econômico do Brasil. Mas, exportar produtos significa lidar com novos mercados, novas legislações e uma grande diversidade de normas e burocracias, afinal, não basta cumprir o que é exigido em nosso país: o local para o qual enviamos as mercadorias precisa ter as portas abertas a recebê-las.

Entretanto, embora não se trate de um procedimento tão simples quanto vender para brasileiros, vale a pena investir. Para ajudá-lo, listamos abaixo alguns pontos essenciais que precisam ser verificados antes de iniciar o processo de exportação. Confira!

1. Documentação necessária

Antes de começar, de fato, a exportar produtos, será necessário verificar quais licenças a sua empresa precisa ter para vender para o mercado exterior. No momento seguinte, após fechar o pedido com a empresa compradora, você precisará enviar uma pró-forma dos produtos que serão faturados, com quantidades, descritivos e valores. Essa fatura será usada pelo importador, para obter uma carta de crédito em um banco, o que garante a quitação com o fornecedor.

O seu papel nessa fase será analisar a carta de crédito e verificar se tudo está correto. Se concluir que sim, é só emitir os documentos necessários para embarque da mercadoria. Os principais são: invoice comercial (que equivale à nota fiscal das mercadorias), romaneio ou packing list (relação dos itens), registro de exportação e conhecimento de embarque. 

2. Certificações de qualidade

Existem países nos quais produtos importados, especialmente alimentos e cosméticos, precisam de selos de qualidade para serem aceitos. Essa questão também precisa ser pesquisada com antecedência. É importante que você providencie todos esses certificados para que não ocorram problemas na liberação do seu produto para entrada no mercado. Certificados de qualidade da empresa também podem se fazer necessários.

3. Desenvolvimento de produtos diferenciados

Será que o seu produto terá boa aceitação no mercado exterior? Essa é uma pergunta que você precisa sempre fazer antes de oferecê-lo. É claro que trata-se de algo que não é possível prever com exatidão, mas existem alguns meios de tornar a sua mercadoria mais propensa ao sucesso.

É importante lembrar que o produto deve apresentar um diferencial (oferecer mais do mesmo ao consumidor não costuma surtir efeitos), contar com inspeção de qualidade e apresentar-se em uma embalagem segura e atraente. Tratam-se de sutilezas que chamam a atenção do público, em qualquer parte do mundo.

4. Tradução do material informativo

Por falar em embalagem, o rótulo do seu produto está na língua do país de destino? E o manual e/ou folhetos que o acompanham? É importante disponibilizar tais documentos na língua oficial do país para o qual a mercadoria será importada ou, no mínimo, uma versão em inglês. Exportar mercadorias para os Estados Unidos (ou mesmo para algum país europeu) com rótulos e documentos somente em português não faria nenhum sentido. É necessário pensar também no consumidor e na forma pela qual o seu produto será recebido por ele.

Como se pode ver, exportar produtos requer alguns cuidados especiais, mas pode ser considerado uma grande oportunidade para a sua empresa. Vale a pena investir!

Em relação a esse tópico, você pode complementar sua leitura conferindo nosso post que aborda a importância da tradução.

Arabera Traduções

O blog Arabera: aqui te damos as melhores dicas para traduções e interpretações.

Sem comentários

Cancelar